[REC], Sustos e risos em um filme tenso e original.

Com uma idéia ousada e diferente de tudo que já se viu, os diretores espanhóis Jaume Balagueró e Paco Plaza, nos apresenta o mais novo thriller de horror [REC] (REC, Espanha, 2007), já disponível em DVD nas locadoras.

Para a jornalista Angela Vidal, e seu câmera Pablo, aquela noite seria como outra qualquer, chegar, fazer a reportagem e ir embora, a intenção da reportagem desta noite seria mostrar o cotidiano dos bombeiros que vivem e trabalham em uma brigada de incêndio. Porém o que aparentemente seria uma situação rotineira de resgate para os bombeiros, em pouco tempo se torna em uma grande pesadelo. Presos em um edifício, a equipe de jornalismo, os bombeiros, dois policiais e os próprios moradores do edifício enfrentaram algo desconhecido e letal.

O filme é feito todo em forma de documentário utilizando apenas uma câmera, o que o torna ainda mais angustiante, e que consegue transportar o telespectador para dentro da própria trama, [REC] se tornou fenômeno por todos os países em que foi exibido e ganhou diversos prêmios em festivais internacionais de cinema como os 2 prêmios no Goya, nas categorias de Melhor Atriz Revelação (Manuela Velasco) e Melhor Edição.

Hollywood, com certeza com inveja, não podia deixar isso de lado, e foi logo copiando o original e refilmando-o com o sugestivo título de “Quarentena”, até aí tudo bem, pois eles tentaram refazer o mesmo filme porem, falado em inglês, mantendo os nomes dos personagens originais, e seguindo a mesma seqüência de fatos que ocorre no original, o que o tornou um filme pouco tenso e muito menos angustiante que a versão em espanhol.

Se você procura sustos e até mesmo algumas risadas não deixe de assistir [REC], um filme de terror, tenso, original e espanhol para a inveja dos americanos.
Trailer do Filme:
Imagens: Divulgação / California Filmes
Texto: Paulo Costa

Comentários

  1. Uau! Confesso que não me senti atraída por este filme, mas após seu post e o trailer, eu quero ver sim!
    bjus

    ResponderExcluir

Postar um comentário