"A Saga Crepúsculo: Lua Nova" - Crítica do Filme

"A Saga" continua... maior e melhor
Por Paulo Costa


20 de novembro, a espera de muitos fãs chegou ao fim, não eram nem 11 horas da manhã e muitos fãs aguardavam ansiosos para o ínicio da sessão das 13 horas do filme mais aguardado do ano "A Saga Crepúsculo: Lua Nova" (The Twilight Saga: New Moon).

Para todos que aguardaram por este dia impacientemente, só tenho uma coisa a declarar, valeu a pena!

"Lua Nova", segunda parte da frânquia "Crepúsculo" (Twilight) que teve ínicio no ano passado, entrou em cartaz nas salas do mundo todo hoje. E para a surpresa de todos, o filme está maior e melhor, simplesmente fantástico reparar toda a diferença se comprado com o seu antecessor.

O investimento, quase quatro vezes maior que o primeiro filme, mostra o porque o filme está causando tanto alvoroço no mundo todo. Os efeitos especiais são de primeira, e adaptação está sensacional, baseado no best-seller de Stephenie Meyer, as modificaçõs feitas na trama só ajudam o contexto o filme a ficar ainda mais intrigante.

Uma cena em especial me chamou muito a atenção: no livro, logo após o abandono de Edward, você encontra nas páginas seguintes onde não há nada escrito além do meses de sua ausência e do sofrimento de Bella. O roteirista conseguiu passar a mesma sensação de vaio e sofrimento em uma cena díficil de se desrever, e que ainda bem, não foi substituida por uma narração citando ete período, o que muitos optariam por fazer, ao invés disso, essa é uma das cenas mais bonitas que já vi no cinema.

Os méritos do filme estão em tudo, desde sia adaptção e direção (Chris Weitz), até sua trilha sonora, com canções de bandas, até agora, desconhecidas.

Os efeitos são o ponto forte, os lobos foram criados de uma forma inovadora, onde a ídeia do iretor de colocar os olhos dos próprios atores ficou demais, ajudando a expressar ainda mais as reações que eles estão sentindo.

O roteiro, é um verdadeiro mix de ação, drama, romance, mistério e muita comédia, a ídeia de colocar tais tiradas sarcasticas, fizeram da trama algo mais leve e menos despretensiosa.

Enfim, tanta espera para algo que surpreende a todos em uma espetáculo inesqueível que tinha tudo para deixar os fãs da série, mais uma vez, desapontados.

O motivo real dessa gloriosidade toda? Não dá para explicar. Só sei dizer que se a série conmtinuar nesse ritmo, "A Saga Crepúsculo: Eclipse" será ainda melhor.









Agradecimento: Monique Igarachi, obrigado pela colaboração neste dia tão aguardado!
Imagens e vídeos: Divulgação

Comentários

  1. Bastante interessante a sua crítica ao filme Lua Nova. E é óptimo encontrar um rapaz que gosta da saga Luz e Escuridão. Sei que existem, mas até hoje a maioria dos fãs com quem converso são mulheres.

    ResponderExcluir
  2. Crepúsculo foi uma saga que todos nós amamos, nós não poderia ajudar, mas imagine se voltar nós vampiros e viver uma aventura como esta. Eu amei todos os personagens, mas o meu favorito era Aro. Eu gostei muito do trabalho que ele fez Michael Sheen, não importa o projeto, demonstrou seu extraordinário talento. Atualmente, podemos desfrutar de seu trabalho sobre quarta temporada de Masters of Sex , uma série histórica definida na década de 50 demonstramos de forma sexualidade científica. É uma pena que a saga Crepúsculo chegou ao fim, felizmente, ainda podemos ver o elenco em outros projetos que tem certeza de deliciar-nos.

    ResponderExcluir

Postar um comentário