Nos cinemas

Freddy voltou... melhor do que nunca, sejam bem-vindos ao seu novo pesadelo
Por Paulo Costa


Um dos ícones dos filmes de terror da década de 1980, Freddy Krueger, está de volta, mais assustador, mais perverso e melhor do que nunca.

O remake de "A Hora do Pesadelo" (Nightmare on Elm Street), em cartaz nos cinemas, é sem dúvida alguma um marco para o retorne de Freddy e apresentar a novas gerações a verdadeira face do terror, porém, com efeitos mais caprichados e um pouco mais de sustos, feito que se conseguia na época com muito menos recursos, e que hoje seria algo mais engraçado do que assustador, o que se torna lamentável.

A trama segue os mesmos moldes de seu original, um grupo de adolescentes de um subúrbio americano tem um sonho em comum, envolvendo Freddy Krueger. Ele é um assassino desfigurado, que sempre os persegue em seus sonhos. Enquanto eles estão acordados não há risco algum, mas quando adormecem é a chance que Krueger tem para dominá-los.

Nosso adorável vilão e interpretado brilhantemente por Jackie Earle Haley, que por coincidencia intepretou de forma brilhante também outro pedofilo nos cinemas, no filme "Pecados Íntimos" (2006) que lhe rendeu uma indicação ao Oscar de Ator Coadjuvante, além de possuir ótimos filmes no currículo como "A Grande Ilusão" (2006) e "Ilha do Medo" (2010) do diretor Martin Scorcese.

Outro destaque no filme é a do novato Kyle Gallner, que foi visto recentemente em outro filme do mesmo gênero "Garota Infernal" (2009), o que nos leva a acreditar que o garoto terá uma vida longa (ou nem tanto) em filmes deste gênero.

Porém o que deixa a desejar e a participação do ator Kellan Lutz, mais conhecido como Emmet (irmão de Edward Cullen) da franquia "Crepúsculo", que serviu apenas como o gancho para dar ínicio a matança de Freddy, sendo assassinado logo na primeira cena do filme.

No geral "A Hora do Pesadelo" é um ótimo filme de terror, com muito sangue, adolescentes bonitinhos, mortes deliciosamente divertidas e vários sustos pra fazer qualquer um dar vários pulos na poltrona do cinema, por isso eu não recomendo assistir a este filme comendo pipoca. Porém, todo cuidado é pouco, você jamais dormirá de novo (risos).



Imagens e vídeos: Divulgação / Warner Bros.

Comentários