Cinema & Literatura

Bree Tanner era realmente do mal ou não? Meyer cria com maestria mais uma história de vampiros
Por Paulo Costa

O fenômeno está chegando com força total ao Cine&Cia, e aproveitando que na próxima quarta-feira, 30 de junho chega as salas de cinema de todo o país o aguardado "A Saga Crepúsculo: Eclipse" (The Twilight Saga: Eclipse), não poderia deixar de fazer uma resenha do livro "A Breve Segunda Vida de Bree Tanner - Uma História de Eclipse" (The Short Second Life of Bree Tanner), que já está à venda  nas livrarias pela Editora Intrinseca.

[Spoiller] Quem acompanha a saga e já leu o terceiro livro da série, sabe exatamente de quem estou falando, Bree Tanner, a única vampira recém criada do exército construido por Victoria que Bella conseguia ver, e que ao ser capturada pelos Cullens e depois de algumas indecisões (matamos ela ou não?) ela acabou sendo morta pelo clã.

Porém para nós leitores ficou aquela simples dúvida, Bree Tanner era realmente do mal ou não?

E é justamente isso que o livro "A Breve Segunda Vida de Bree Tanner - Uma História de Eclipse" (Ed. Intrinseca, 192 pgs, R$24,90) vai nos contar, desde o momento de sua criação até sua morta, revelando seu passado e nos transportando para dentro de uma incrivel história.

Meyer cria uma tarama cheia de aventura, suspense, mistérios, romance, revelações e sofrimento, numa
mistura perfeita de sentimentos, e nos mostra que mesmo sem Bella, Edward, Jacob ou qualquer outro personagem mais famoso da saga, consegue e com maestria criar mais uma história de vampiros, que nos revela muito mais do que se poderia imaginar.

Vale a pena ler e conhecer a história de Bree Tanner antes de assistir ao filme, pois com certeza, você a enxergará de outra maneira.

Vou aproveitar para fechar este texto publicando uma comunicado que Stephenie Meyer colocou em seu website oficial ao lançar o livro lá fora, espero que gostem e aguardem grandes surpresas vem por aí!

"Surpresa!

Estou lançando um novo livro. O título é
"The Short Second Life of Bree Tanner" (A breve segunda vida de Bree Tanner). Bem, é mais uma novela do que um romance, realmente — minha versão de um conto.

Na verdade, ele foi uma surpresa para mim, também. Isso porque nunca tive a intenção de publicar essa história como um livro individual. Comecei a escrevê-la há muito tempo — antes mesmo de Crepúsculo ser lançado. Na época em que estava editando "Eclipse", e na nebulosidade do meu mundo vampiro, pensava muito sobre os recém-criados, imaginando seu lado da história, e uma coisa levou a outra. Comecei a escrever sobre aqueles dias finais a partir da perspectiva de Bree, sobre o que era ser uma recém-criada.

Essa história é algo em que trabalhei com várias interrupções por um tempo, só por diversão, nos intervalos do trabalho de escrever ou editar os outros romances da série "Crepúsculo". Mais tarde, quando surgiu o conceito de "The Twilight Saga: The Official Guide" (Série Crepúsculo: Guia oficial, na edição nacional), pensei que esse poderia ser um bom lugar para Bree. Sua história é um bom complemento para "Eclipse"; ela explica muitas coisas que Bella nunca soube. Por isso tirei a poeira desse trabalho e o concluí para incluir no Guia.

Ao mesmo tempo, ele se tornou útil para o filme "Eclipse". Melissa (Rosenberg, a roteirista) tinha toneladas de dúvidas sobre o que, exatamente, acontecia em Seattle, como Victoria comandava as coisas, como era Riley, etc. Eu a deixei ler o que tinha então, e mais tarde dei o trabalho completo ao diretor, David Slade. David perguntou se Xavier, Bryce, e Jodelle (Riley, Victoria, e Bree) podiam ler o texto, também, de forma que todos os envolvidos tivessem uma base realmente forte para os personagens antes que as câmeras começassem a rodar. Fiquei satisfeita por esse lado da história ser incluído no filme, e estava ansiosa para incluí-lo no Guia.
Então, recebi a notícia: minha “história curta” tinha quase 200 páginas quando foi digitada. Era longa demais para se enquadrar no Guia - sem fazer dele um volume tão pesado quanto o dicionário. Meu editor sugeriu que publicássemos a história de Bree isoladamente. Um dos principais benefícios desse plano era que ele seria lançado antes do filme, então as pessoas conheceriam Bree antes de poderem vê-la no cinema. Isso fez sentido para mim, e decidimos seguir adiante com a ideia.

Espero realmente que vocês gostem dessa história. Foi incrível escrevê-la.

Estou feliz por Bree, depois de tanto tempo trancada nos meus arquivos, ter sua chance de brilhar.


Obrigada por tudo,

Steph"


fonte do texto: http://www.stepheniemeyer.com/
Imagens e vídeos: Divulgação / Editora Intrinseca / Paris Filmes

Comentários