Critica "A Saga Crepúsculo: Eclipse" (Por quem leu)

A espera chegou ao fim novamente
Por Paulo Costa

O que se pode esperar de um filme, ao qual sua franquia se iniciou morna e, mesmo com efeitos arrasadores, logo em seguida deu uma esfriada? De que os próximos não sejam tão bons quanto os anteriores, correto? Se engana que pensou assim, "A Saga Crepúsculo: Eclipse" (The Twilight Saga: Eclipse) que teve estreia mundialmente nesta quarta feira, 30.06, é uma excessão à regra, e prova que mesmo depois de uma enfraquecida tudo pode acontecer.

O motivo disso tudo? Opinião particular, David Slade, diretor do filme, que inclui em seus trabalhos mais recentes o também filme de vampiros "30 Dias de Noite" (2007), onde boa parte do mundo sombrio mostrado "Eclipse" foi de uma certa maneira trazida do "30 Dias...", David consegue misturar movimentos de câmera absurdos, numa dosagem perfeita de sesualidade, terror e sangue.

Não posso esquecer de citar também Melissa Rosenberg, que após adaptar os dois livros anteriores, conseguiu finalmente nos remeter ao universo que se esperava desde "Crepúsculo" (2008), e o resultado é umas das mais fieis adaptações já feitas, com alguns elemento a mais que só fizeram o roteiro seguir muito bem desde sua primeira e aterrorizante cena até seu desfecho que nos deixa com vontade de ver mais, Melissa mistura boas doses de suspense, ação e até mesmo comédia, principalmente nos dialogos entre Bella e seu pai Charle.

Tirando a atuação de Taylor Lautner, um tanto quanto "eu sou a estrelinha do momento", as atuações de Kristen Stewart (Bella) mostra-se mais madura e até mesmo mais segura com relação ao seu personagem, Robert Pattinson consegue também transformar Edward no romântico apaixonado do século passado o que o personagem exigia desde o ínicio, e até mesmo os coadjuvantes que mostran-se mais maduros e até mesmo mais presentes na trama, fazem deste sem dúvida o melhor filme da saga.

Dakot Fenning, como a vampira Jane, e os Volturi, estão ainda mais assustadores e perversos do que antes, o que ajuda muito o lado sombrio e assustador da trama, que se for mantida podemos esperar por um "Amanhecer" ainda mais assustador do que esperado.


A trilha sonora mais uma vez surpreende, ficando dificil decidir qual foi a melhor, incluindo canções como a da Muse - Neutron Star Collision (Love is Forever), Metrtic - Eclipse (All Yours) e Cee Lo Green - What Part of Forever, porém quem for comprar eu recomendo comprar a Edição Importada de Luxo com 21 faixas e que não contém a música Eterno para Você da "bandinha do filho do Fábio Jr". (sem comentário) que foi incluida na versão nacional do produto (?).

Elógios a parte, duas coisas deixaram muito a dsejar, primeiro Melissa ter misturado na histórias algumas parte do livro "A Breve Segunda Vida de Bree Tanner" e deixar essas pontas soltas onde somente quem leu o livro sabe o que realmente estava acontecendo naquelas cenas. (Ler crítica completa do livro)

Segundo, terem trocado a atriz Rachelle Lefevre, que já havia dado vida a um dos vilões da trama, a vampira Victoria e que de forma alguma poderia ter sido substituida, sua substituta Bryce Dallas Howard, melhor nem comentar.

Tirando isso, o filme é sem dúvida algo que vai extasiar a todos, nos mostrando o motivo por se fazer sucesso sozinho, e para aqueles fãs que não aguentavam mais toda ansiedade para assistir "Eclipse" a espera finalmente chegou ao fim novamente, bom ou não? vai nos deixar ainda mais ansiosos para ver "A Saga Crepúsculo: Eclipse", que será dividos em duas partes com estréis previstas para Novembro de 2001 e Junho de 2012, e ao que tudo indica contará com sequencias em 3D.

Agora é só aguardar e se divertir com as surpresas que o Cine&Cia. irá revelando aos poucos. Aguardem, pois muitas surpresas mesmo vem aí!



Imagens e vídeos: Divulgação / Paris Filmes

Comentários