Crítica: "Pânico 4"


Wes Craven presenteia os fies fãs da franquia com a sequência que já pode ser considerada a melhor da série Pânico

Por Paulo Costa


Cartaz oficial do filme
(Divulgação/Imagem Filmes)
Como já dito no texto abaixo, a trilogia Pânico (Scream) iniciada em 1996 por Wes Craven e o roteirista Kevin Williamson é uma das mais rentáveis franquias do gênero e já arrecadou no mundo inteiro mais de U$600 milhões e criou uma legião de fieis fãs.

11 anos se passou, e o diretor e roteirista responsáveis por reinventarem o gênero a pouco mais de uma década atrás surpreendem a todos e presenteia os fieis fãs com a sequência que já pode ser considerada o melhor filme da série.

Em Pânico 4 (Scre4m), que chega aos cinemas do mundo todo nesta sexta-feira, 15 de abril, o tempo passou e "a tragédia de uma geração é a piada da nova", como diz o xerife Dewey logo no início da trama, Sidney já conseguiu deixar o passado para trás e tudo parecia entrar nos eixos, ela resolve voltar para Woodsboro e promover seu novo livro de auto-ajuda e a partir daí Sidney recebe a visita inesperada de Ghostface. Mas dessa vez ela não poderá fazer nada a não ser assistir, pois o foco dos ataques será sua prima Jill e todos os mais próximos à elas.
Divulgação/Imagem Filmes

Williamson arrasa no roteiro do filme e consegue ser o mais atual possível, misturando todo o universo tecnológico presente nos dias de hoje incluindo as redes sociais e tratando também de forma série, assustadora e muito verdadeira os problemas da vida moderna como a exposição pública e o fazer de tudo para ficar famoso e sair na mídia, e também consegue divertir e arrancar até algumas gargalhadas com singelas "homenagens" a figuras como o ator Bruce Willis e o diretor de cinema Robert Rodriguez.

O longa não perde o fôlego um minuto sequer ao longo de seus aproximados 110 minutos, e o elenco mistura veteranos e novatos, afinal essa é a proposta apresentada. O trio original retorna, Neve Campbell (Sidney), David Arquette (o xerife Dewey) e Courtney Cox (a jornalista Gale), e no elenco dos novatos temos Emma Roberts (Idas e Vindas do Amor) que aqui interpreta a sobrinha de Sidney além de Hayden Panettiere (seriado Heroes), Adam Brody (seriado The OC) e Rory Culkin (Twelve) e também sem esquecer de mensionar as aparições de Anna Paquin (seriado True Blood) e Kristen Bell (seriado Veronica Mars e do recente Burlesque)

Emma Roberts, prima de Sidney
(Divulgação/Imagem Filmes)
Mas o mais original está por trás de toda a trama, Craven e Williamson responsavéis por reinventarem o gênero tiram um sarro da cara das novas franquias em explicito Jogos Mortais, com algo mais ou menos assim "Nós somos os caras, vocês vieram, fizeram essas porcarias, essa sujeira toda, e nós voltamos pra limpar toda essa meleca!", e sim, Pânico 4 limpou toda essa sujeira, se reinventou mais uma vez, conseguiu ser tão bom quanto seu original e vai deixar todos eufóricos em suas poltronas com uma final extremamente perfeito, surpreendente e fazer com que os fãs saiam do cinema com um sorriso estampado no rosto, afinal todas as expectativas foram supridas, e todos nós queremos por mais, que seja feita uma nova trilogia.


Imagem Filmes

Comentários