Divulgada a lista de indicados ao Emmy 2022
“Trem-Bala” ganha trailer especial ao som do hit de Ana Vilela
"Ela Disse", história que impulsionou o movimento #metoo, ganha trailer
“I Wanna Dance With Somebody: A História de Whitney Houston” ganha pôster nacional
"Eu, Christiane F." retorna aos cinemas em cópia remasterizada
"Não, Não Olhe!" ganha vídeo com detalhes inéditos do longa

Uma análise de "Pânico 4"



Pânico 4 tem novas tecnologias incorporadas ao roteiro

Por Amanda Santana


Divulagão/Imagem Filmes
Nova década, novas regras. A proposta do novo capítulo do filme Pânico (Dirigido por Wes Craven, e roteirizado por Kevin Williamson) anuncia os rumos da história que, mesmo lançada 11 anos depois, ainda não terminou. Buscando se adaptar as mudanças ocorridas na sociedade nesse período, o filme consegue renovar o roteiro e ganhar impulso para uma breve suposta sequência.

A essência da historia é a mesma; telefonemas com a voz do Ghostface, assassinatos em série realizados com facadas, muito sangue e cenas assustadoras. E também a volta de três personagens, Sidney Prescott (Neve Campbell), o xerife Dewey Riley (David Arquette) a jornalista Gale (Courtney Cox).

A nova década, citada no cartaz do filme, corresponde ao roteiro que se baseia em fatos contemporâneos para motivar a série de assassinatos. Muitos elementos foram incorporados para que a história se aproximasse da atualidade. Cenas dos assassinatos sendo gravadas por Webcam, além do uso de dispositivos móveis e redes sociais pelos personagens.

Outra novidade do roteiro fica por conta da abordagem do comportamento dos personagens relacionado às tendências da sociedade atual, que não fica limitado a mostrar os novos hábitos dos jovens, mas a própria postura que demonstra a necessidade de exposição na mídia e o desejo desenfreado por fama.

Imagem Filmes