Resenha: Tomb Raider - A Origem

Alicia Vikander é uma excelente Lara Croft! (Divulgação)

Tomb Raider - A Origem
Por Ana Cláudia Oliveira

O retorno de Lara Croft às telonas somado ao encosto das trágicas adaptações de games para o cinema.

(Warner Bros. Pictures)
Já sabemos que para filmes nessa categoria não podemos criar expectativas, por isso o considero como sendo bem ok. A introdução é um tanto longa e as cenas de ação demoram bastante para acontecer, sem contar que por uma infelicidade do destino esses grandes aditivos estão todos no trailer. Algumas indigestões quanto ao roteiro e efeitos especiais duvidosos.

Mas peraí! Até o momento, são apenas pontos negativos e eu o classifiquei como bem ok, como assim?! Simples: Alicia Vikander é uma excelente Lara Croft! Ela se encaixa perfeitamente no papel dando uma nova personalidade e inclusive é muito similar à do game, com direito aos gritinhos e tudo. Uma Lara perfeita. O que é incômodo, uma pena, um desperdício e uma grande falha é o tempo todo nossa aventureira ter sido salva por um personagem masculino, sendo que ela por si só é o suprassumo da mulher guerreira, inteligente e independente, assim como a conhecemos desde os primórdios dos jogos.  Tocando nesse ponto, realmente impressiona em um filme desses ter apenas 2 personagens femininas (WTF, Warner?!). Penso que depois do sucesso de “Mulher-Maravilha”, os roteiros seriam mais cuidadosos e mais bem trabalhados nesse sentido, o que não é pedir muito, né?

Em termos de trama, o filme se aproxima levemente aos jogos mais recentes. Movida por resolver o mistério do desaparecimento de seu pai, Lara Croft embarca em uma arriscada aventura rumo ao último destino de Richard Croft, uma ilha mítica e inóspita na costa do Japão. O que resta a ela é confiar em sua inteligência e seu espírito aventureiro para enfrentar com sabedoria os desafios que surgirão durante a sua jornada.
As aguardadas cenas de ação estão todas no trailer (Divulgação)

Os clichés vem sem dó e nem piedade, tanto nas falas quanto nas cenas, mas às vezes surge aquele quentinho no coração quando percebemos algumas poucas referências do jogo.

Portanto, encare esse filme como puro entretenimento, vá ao cinema e divirta-se sem grandes preocupações, afinal, você não vai assistir “Sucker Punch” ou algo similar.

Deixo aqui registrada a minha súplica: por favor nos deem a Lara Croft que precisamos e que conhecemos, uma Lara realmente protagonista!

Comentários