CCXP19 | CONFIRMADO ELENCO DE "STAR WARS"!!! Disney promete um painel épico com direito a lágrimas
CinePerfil | Ela já foi Ranger Rosa, princesa da Disney, e agora uma Pantera
Festival Mix Brasil | Resenha: Retrato de uma Jovem em Chamas, por Jean Gameiro
Cinema | "Synonymes" tem pôster e trailer nacional divulgados. Dos mesmos coprodutores de "Bacurau", longa franco-israelense estreia ainda este ano
Resenha: Segredos Oficiais, por Helen Nice
CCXP19: Netflix divulga seu line-up, Ryan Reynolds e elenco de "La Casa de Papel" estão confirmados no evento
Mix Brasil: "Retrato de Uma Jovem em Chamas" e outros destaques do Panorama Internacional
Séries: confirmada a 3ª temporada de "Titãs"

Notícias: Morre aos 86 anos o humorista Agildo Ribeiro





Morreu neste sábado, 28, o ator e humorista Agildo Ribeiro, aos 86 anos

O humorista filho de políticos e militares, demonstrou desde cedo sua vocação para o riso, quando fazia sucesso entre os alunos do colégio militar com imitações. Tanto que saiu do colégio direto para o teatro, onde iniciou a carreira artística.

Em seis décadas de carreira e parcerias memorais, destacam-se as parcerias com Jô Soares e Paulo Silvino (1939 - 2017).

Agildo Ribeiro e Dinorah Pêra em cena de 'Zorra Total', em 2009 (Foto: Thiago Prado Neris/TV Globo)


No cinema participou de mais de 30 produções, a última foi "A Casa da Mãe Joana" (2008). Na TV, onde seu trabalho foi mais duradouro, há registro em diversas produções, mas sua trilha na TV Globo começou como repórter no programa "TNT" (1965), o sucesso aconteceria alguns anos mais tarde no programa "Topo Gigio" (1970).

Suas participações em programas humorísticos como "A Escolinha do Professor Raimundo" (1999) e "Zorra Total" (1999 -2017), são registros de seu grande sucesso como um dos maiores humoristas de sua geração.

Sua última participação na TV foi no programa "Tá no Ar: a TV na TV" (2018).

Agildo morreu em sua casa no Leblon, zona sul do Rio de Janeiro, em decorrências de problemas cardíacos.

Divulgação Rede Globo: Marcius Melhem, Agildo Ribeiro e Pedro Farah





Comentários