Superman 80 anos: Das HQs para os Live Actions


Capa da Action Comics #1. A data impressa era estratégia comercial para aumento de tempo em banca da edição. 

Em 18 de Abril de 1938 foi publicada a 1ª história do super herói alienígena mais humano que já existiu nos quadrinhos. 

por Cristina Gusmão 

Comemoramos hoje o 80º aniversário da 1ª aparição do "Superman" nos quadrinhos. O "Homem de Aço" chegou às bancas nos Estados Unidos, na capa da edição da Action Comics #1 em 18 de abril de 1938. O personagem criado pelos amigos de infância Jerry Siegel e Joe Shuster, fãs ávidos de revistas em quadrinhos, a partir de algumas ideias sobre combatentes do crime com superpoderes que Siegel tivera após ter trabalhado em fanzines amadores. Assim nasceu o "Super-Homem".

Jerry Siegel e Joe Shuster, foto de David Basralou MFA

Como os amigos acharam que seu personagem não iria prosperar, acabaram vendendo os direitos para a "Detective Comics" (DC) por U$ 130 (hoje o equivalente a cerca R$ 7,5 mil reais). O que eles não podiam imaginar era o quão errado estavam, pois rapidamente o personagem se tornou um grande sucesso e logo ganhou sua própria revista solo. Se tornando o grande símbolo da Era de Ouro dos quadrinhos e até hoje um dos 10 maiores heróis das HQ’s, e estando presente na lista dos personagens favoritos de qualquer pessoa, independente de geração. O kriptoniano com poderes para destruir a Terra e todos que aqui vivem, já provou inúmeras vezes ser o mais humano entre os humanos e quanto preza pela vida no planeta que o acolheu.

Clark Kent transcendeu os quadrinhos em 1948 quando ganhou sua primeira versão live-action, em uma série com 15 capítulos, chamada "Superman", o herói foi interpretado pelo ator Kirk Alyin. Em 1952, uma nova série foi lançada, dessa vez estrelada pelo ator George Reeves, "As aventuras de Superman" durou até 1958. Na TV, o "Homem de Aço" voltou a ser retratado em 1993 com a série "Lois & Clark: The New Adventures of Superman”, que focava muito na relação entre os personagens do que nas ações do Superman, a série ficou no ar até 1997 e era estrelada por Dean Cain (Superman) e Teri Heatcher (Lois Lane).

3 encarnações do Superman nas telinhas: Kirk Alyin de 1948, George Reeves de 1952 e Dean Cain de 1993. Fotos: Divulgação.

Em 2001 foi lançada a série "Smallville" que apresenta a juventude de Clark, antes ser tornar o "Super-Homem". Protagonizada por Tom Welling, teve 10 temporadas (2001 a 2011) e ainda que Clark nunca tenha vestido o uniforme azul e vermelho (desculpe o spoiler se você não viu a série), o sucesso de "Smallville" foi um marco importante para que outras séries de heróis pudessem ser produzidas.


O mais próximo que vimos de Tom Welling vestindo o tradicional uniforme do herói, na ultima cena de Smallville

Nas telonas, o herói apareceu pela primeira vez em 1978, em "Superman - O Filme", estrelado por Christopher Reeve e dirigido por Richard Donner. O longa foi um sucesso de crítica e público, além de Reeve o filme tinha Marlon Brando como "Jor-El" e Gene Heckman como "Lex Luthor". Devido ao grande sucesso mais três sequências foram realizadas: "Superman II – A Aventura Continua" (1980), "Superman III" (1983) e "Superman IV – Em Busca da Paz" (1986), todos protagonizados por Reeve, que se tornaria o rosto do Super-Homem.

Christopher Reeve, falecido em 2004, ator ainda é considerado por muitos a melhor aparição Live Action do herói.

Em 2006 houve nova tentativa de reviver a franquia nos cinemas. O novo projeto ficou a cargo de Bryan Singer e para viver o "Super-Homem" foi escolhido o ator Brandon Routh, que segundo palavras do próprio diretor :
“Possui o talento necessário para o papel, além da presença física e da similaridade com os traços do personagem”.
Apesar dos esforços o filme não foi bem recebido pelos fãs e nem pela crítica especializada, mundialmente o filme arrecadou somente US$ 391 milhões em bilheteria.

Brandon Routh que lembra Reeve fisicamente, mas o filme não conquistou o público. Foto Divulgação Warner Bros.

Em 2013 a Warner Bros. decidiu dar início ao que eles chamaram de universo compartilhado para que os heróis DC pudessem transitar, a primeira produção foi "O Homem de Aço", dirigido por Zack Snyder e estrelado por Henry Cavill, essa primeira versão de "Kal-El" era mais sisuda, mas ainda assim estava disposta a se sacrificar pela humanidade. A produção teve uma arrecadação de bilheteria muito boa ao redor do mundo ultrapassando os U$660 milhões, entretanto quando se fala em críticas ao filme as opiniões são bem divididas, no IMDB sua média é 7,1 enquanto no Rotten Tomattoes é 6,2.

 Henry Cavill na fase mais sisuda do herói, na visão de Zack Snyder. Foto divulgação Warner Bros. 

"Batman v Superman: A Origem da Justiça", inicialmente anunciado como sequência de "O Homem de Aço" que foi lançada em 2016, teve como função introduzir novos personagens para que num futuro próximo formassem a Liga. Nesse filme além da aparição de Mulher Maravilha, Gal Gadot, e da apresentação de um novo Batman agora interpretado por Ben Affleck, a obra apresenta um dos maiores eventos dos quadrinhos, a morte do "Superman". Mas, mais uma vez a maioria dos fãs não ficaram satisfeitos com os resultados apresentados por conta de edição, tom do filme e o rumo que a história estava tomando. Dessa maneira criavam-se mais expectativas para o próximo filme onde Superman figuraria dentro deste universo.


Cena adorada por muitos fãs. O filme nem tanto.


Em 15 de novembro de 2017 foi lançado o tão esperado "Liga da Justiça", o filme tinha a missão de apresentar a formação da Liga, mudar os rumos do universo DC e trazer de volta o "Homem de Aço". As mudanças no tom do filme puderam ser percebidas, o retorno do "Superman" trouxe um personagem mais próximo do apresentado nos filmes de Reeve do que a versão criada por Zack Snyder, porém ainda esperávamos ver mais em tela (traje preto, cadê?), fora erros maiores e apostas desastrosas, resultado: mais uma produção que também não agradou a maioria dos fãs e a crítica.

A reunião dos maiores heróis da Terra também não agradou o grande público. Faltou algo. Foto divulgação Warner Bros. 

Mesmo com todos esses deslizes, os leais fãs do personagem continuam esperando uma nova versão que consiga retrata-lo tão bem quanto ele é no universo das HQ’s. De qualquer forma, continuaremos acreditando que no próximo projeto veremos o melhor do personagem no live-action, até lá...
“Para o alto e avante!”

Comentários