Resenha: Mentes Sombrias



Uma aventura morna que não apresenta nada de novo  
Por Cristina Gusmão


Crianças começam a apresentar uma doença que os médicos não conseguem diagnosticar, uma pandemia mata parte considerável delas e as sobreviventes passam a desenvolver dons sobrenaturais, nesse mundo distópico, esses jovens não são compreendidas e nem aceitas, esse é o gancho inicial de "Mentes Sombrias" (The Darkest Minds), que chega aos cinemas nesta semana.

Como é compreensível em sociedades onde o homo sapiens - o homem na sua versão atual, sem dom algum - mas que está no topo cadeia de comando passa a temer as crianças e aos seus poderes e assim decide categoriza-los por cores (verde, azul, amarelo, laranja, vermelho), sendo que as duas últimas devem ser extintas devido ao perigo que representam. Essa nova sociedade praticamente sem crianças que está se formando decide joga-los em campos de concentração, onde eles passam a viver.

Assim somos introduzidos à história da personagem principal Ruby Daly, interpretada por Amandla Stenberg de "Tudo e Todas as Coisas" e "Jogos Vorazes", e esse é apenas primeiro ato do filme, que não desperta  empatia pela personagem principal e nem entusiasmo pelo que virá a seguir.
O roteiro fraco não colabora, fazendo com que o espectador não consiga se conectar a história, ou se envolver com os personagens, em resumo: um roteiro que não ajuda nem um pouco na evolução do longa e muito menos no desenvolvimentos dos personagens que vão aparecendo. 

A direção de Jennifer Yuh Nelson ("Kung Fu Panda 2 e 3") entrega um filme arrastado, são 103 minutos que parecem muitos mais. Os personagens, além de mal explorados, são jogados em situações aleatórias para tentar evoluir a trama, mas não existe fluidez e dessa forma, fica claro há todo momento que os personagens não podem esclarecer muito sobre o futuro, e sem spoilers, o que pode-se compreender nas entrelinhas é: fique conosco temos coisas para contar, mas só contaremos se houver uma sequência deste filme


A personagem Ruby começa e termina sem compreender onde está e o que está acontecendo há sua volta, Liam, interpretado por Harris Dickson, está em guerra, mas não pode revelar detalhes aos companheiros de jornada.

Como toda e qualquer adaptação literária precisa optar por deixar conteúdos de fora, em "Mentes Sombrias" o caminho escolhido pelo roteiro pode ter sido danoso demais a uma história que serve como capitulo inicial de uma nova trilogia.

Nem mesmo a participação de Mandy Moore (da elogiada série de TV "This Is Us"), como a Dr. Cate Connor, salva o filme de ser apenas uma aventura morna, que fará sua estada no cinema parecer maior do que realmente foi mas, se você leu o livro, talvez encontre elementos.



Comentários