Resenha: 22 Milhas



Um filme de ação genérico com algo especial
Por Lucas P. Marques da Silva

Se você está procurando por um filme de ação com uma história que não interessa muito, com uma câmera que talvez trema um pouco demais, mas que ainda vai te entreter no cinema, “22 Milhas” (Mile 22), do diretor Peter Berg (conhecido por vários outros filmes de ação que você esqueceu o nome ao sair do cinema) é o filme certo para você.


Na trama, Mark Wahlberg ("Transformers: O Último Cavaleiro") traz para as telas do cinema James Silva, um soldado que faz parte de uma tropa de elite americana responsável por proteger um informante do sudeste asiático que promete as coordenadas de um pó químico mais perigoso que uma bomba atômica, em troca de asilo nos Estados Unidos. Além de ser incrivelmente inteligente, Silva também é propenso à explodir de raiva, entrando em discursos de dois minutos expondo informação que já foi mostrada e fazendo com que os seus companheiros questionem a sua saúde mental.


Para ajudar Silva em sua missão, ele passa a liderar uma equipe composta por vários integrantes, entre eles Sam Snow (Ronda Rousey, lutadora do UFC e WWE), James Bishop (John Malkovich, "Um Lugar no Coração") e Alice Kerr (Lauren Cohan, da série de TV "The Walking Dead"), este sendo o único personagem com qualquer tipo de desenvolvimento que é baseado na regra de Hollywood de como fazer alguém se importar com um personagem: dando uma família à ele.


Porém o filme tem um fator que o faz se destacar: o informante que está sendo protegido pelo time de Silva é Li Noor, personagem vivido por Iko Uwais. Se você procurar por  filmes de ação fora dos Estados Unidos, este nome provavelmente soará familiar. Iko é um ator indonésio que nos últimos anos tem construido um nome para si. Foi em “The Raid : Operação Invasão” (2011) que ele se mostrou um ator marcial extremamente capaz, criando suas próprias coreografias de luta e executando-as perfeitamente. Desde então ele apareceu em vários outros filmes de ação, mas nunca tendo um papel principal com orçamento grandioso para que ele pudesse demonstrar o porquê “The Raid” se tornou uma obra adorado por muitos.





E, em “22 Milhas”, Iko consegue finalmente ter essa chance. Apesar do personagem seguir a linha de não ter muito desenvolvimento ou qualquer tipo de história para se aprofundar, sua atuação é do nível de filmes com produções maiores e, apesar do filme ser recheado de cenas de ação com muitos tiros, explosões, e uma câmera que não consegue ficar parada durante seus aproximados 95 minutos de duração, o longa contém uma cena muito especifica com foco em Li Noor, onde você consegue, claramente, ver a influência de um mestre em coreografias de lutas marciais.

Talvez não valha a pena pagar o ingresso apenas para ver essa cena em especial, mas pelo menos ela fez o filme se elevar acima da média de vários outros genéricos de ação, e para aqueles com dúvidas se devem assisti-lo ou que assistirão e irão gostar muito desta uma cena, “The Raid : Operação Invasão” e vários outros com esse ator são cheios da maestria mostrada aqui.


“22 Milhas” chega aos cinemas nacionais nesta quinta-feira, 20/09, e não tem nenhuma produção de ação hollywoodiano melhor para assistir e se você não se importar muito com uma história recheada com armas com munição infinita, granadas que aparecem do nada e muita adrenalina. Tenha a certeza de que fez uma boa escolha.






Comentários