Bilheteria BR: "Malévola" e "Coringa" mantendo seu reinado. Nem a estreia de "Doutor Sono" tirou o sono dos vilões.
Festival Mix Brasil | Resenha: Retrato de uma Jovem em Chamas, por Jean Gameiro
Resenha: Parasita, por Eduardo Benesi
Resenha: Segredos Oficiais, por Helen Nice
CCXP19: Netflix divulga seu line-up, Ryan Reynolds e elenco de "La Casa de Papel" estão confirmados no evento
Mix Brasil: "Retrato de Uma Jovem em Chamas" e outros destaques do Panorama Internacional
Séries: confirmada a 3ª temporada de "Titãs"

Resenha: Aquaman



Ele chegou provando porque é o Rei dos Mares
Por Cristina Gusmão


"Aquaman" chega aos cinemas nesta quinta, dia 13/12, com a missão de introduzir o universo de Atlantis e não decepciona! Somos levados pela história de "Arthur Curry/Aquaman" (Jason Momoa), desde seu nascimento até o presente, passando por diversos flashbacks que nos ajudam a compreender melhor quem é ele.

Nicole Kidman que interpreta a Rainha Atlanna foi uma escolha certeira e uma grata surpresa. É ela que faz a introdução a história de Atlantis e emociona quando diz a Tom Curry (Temuera Morrison) que precisa voltar para Atlantis para proteger o filho. Arthur leva sua vida como o filho amado por seu pai mas também conhecendo sua condição de bastardo de Atlantis. Isso não o impede de atos heroicos, e ainda que lhe falte compreensão de todo o seu poder, ele salva muitas pessoas. Aliás o que poderia ser somente histórias entre entre marinheiros sobre "o homem da água", acabam  por se provar realidade pois ele não se esconde, ajuda a todos e adquire uma certa fama. Mera (Amber Heard) o convoca para ir até o Atlantis afim de evitar uma guerra e Arthur acaba cedendo e assim a trama central do filme se constrói.



O roteiro foi bem desenvolvido, todos os personagens tem suas histórias pessoais contadas, ou citadas, e é possível para qualquer espectador acompanhar tudo. A introdução do vilão Arraia Negra (Yahya Abdul-Mateen II) é muito bem feita, assim como como a de Orm (Patrick Wilson), meio irmão de Arthur e Rei de Atlantis.

Os personagens secundários também estão muito bem, alias, Vulko, interpretado por Willem Dafoe, está muito bem e é um ótimo tutor para Arthur, que também está fantástico no papel, apesar de toda a sua força e a sua cara de mal, ele consegue fazer piadas e elas não são forçadas, fluem naturalmente. Porém, quando falamos do casal de protagonistas, simplesmente não há química!  Acabamos torcendo muito mais pelo amor dos pais de Arthur, do que pelo beijo forçado entre Mera e Aquaman. Atenção, aqui vai um pequeno spoiler: a luta com o Lobo da Estepe é mencionado durante o filme, o que significa que a DC não esqueceu o pífio "Liga da Justiça". 


A trama aqui é fluída e nesse aspecto o filme é melhor resolvido que "Mulher Maravilha", o terceiro ato é bem mais desenvolvido. A coesão do roteiro não significa que não tenha defeitos, algumas das situações que acontecem durante os aproximados 144 minutos de projeção não permitem ao espectador ter dúvidas sobre as ações e motivações dos personagens, ficando assim óbvias demais.



O tom desse filme é mais leve, o que indica que a DC pretende realmente mudar seu direcionamento em relação ao seu universo cinematográfico. O diretor James Wan, conseguiu criar um filme esteticamente perfeito, as cidades de Atlantis são deslumbrantes e não temos bolhas de ar para os personagens falarem (ufa!). 

"Aquaman" é o filme que esperávamos, todas as referências sejam elas dos quadrinhos ou do desenho animado (em um determinado momento do filme me lembrei disso) estão lá e não são piegas, ou seja, reserve seu tempo e vá ao cinema curtir esta aventura!

PS: Não levante tão rápido da poltrona, o filme tem uma cena pós-créditos.







Comentários