O labirinto psicológico de "Por trás dos seus olhos" Por Vanessa França
Uma série que deixa saudades até hoje do seu jeito leve de lidar com assuntos difíceis Por Lulu Ribeiro
Com a série chegando ao fim, podemos ver que a sala dos roteiristas é escura e cheia de horrores Por Pedro Soler e Lulu Ribeiro
Novo romance "O Sol Também É Uma Estrela" também aborda problemas atuais Por Estefania Goto
Realidade e fantasia se colidem para contar a história de um dos mais celebrados autores de todos os tempos Por Lulu Ribeiro

Resenha: Vice


Com humor ácido e maquiagem impressionante, "Vice" relata a verdade de um dos tempos mais sombrios da política dos EUA 
Por Helen Nice

Não é à toa que, divulgada a lista dos indicados ao Oscar 2019, “Vice” do diretor Adam McKay (“A Grande Aposta”) está na disputa em 8 categorias e Christian Bale ganhou um Globo de Ouro por Melhor Ator em Comédia ou Musical.

A história que conta o que aconteceu nos bastidores de uma das épocas mais conturbadas e polêmicas do governo dos EUA - o governo de George W. Bush (aqui vivido por Sam Rockwell) - deve ser forte candidato à melhor ator e maquiagem, pois Christian Bale (o Batman da trilogia Nolan) está irreconhecível no papel do nada popular vice presidente Dick Cheney.

Dick Cheney só entrou na faculdade graças à ajuda da namorada, porém mais bebia e farreava com os amigos que estudava, até que foi expulso. Já casado com Lynne Cheney (Amy Adams), Dick continuava sem juízo e fanfarrão até que Lynne lhe deu um ultimato e o fez mudar de vida. A partir daí, começou sua carreira política, sempre de forma sorrateira, chegando a Chefe de Gabinete da Casa Branca na década de 70 e Secretário de Defesa entre 1989 e 93.

Quando tinha tudo para tentar a candidatura à presidência, um fato particular com relação à opção sexual da filha o fez desistir da carreira e quase o redime de seus erros. O filme brinca com este "final" e quase engana o público.

Convidado por Bush para ser seu braço direito, ele reescreve a premissa que diz que "vice só fica sentado esperando o presidente morrer" se tornando a peça chave de todas as grandes manobras políticas de retaliação aos atentados ocorridos em 11 de setembro e na chamada Guerra ao Terror.



O filme trata com humor ácido e sarcástico um período obscuro da história americana. Até mesmo o narrador, que só justifica sua presença quase no final, trata com ironia sua importância na vida de Cheney. Piadas sobre o mundo político sempre rendem algumas premiações. Um bom filme que estréia dia 31 de janeiro pela Imagem Filmes.

Ahhh!! Assista os créditos até o final… você não vai se arrepender!

Confira o trailer:

Comentários