Cinema: confira a programação do Shell Open Air 2019
Cinema: "Bacurau" é o representante brasileiro ao Prêmio Goya, o Oscar Espanhol
Cinema: "Cruella" com Emma Stone ganha data de estreia
Música: "S&M2", show do Metallica com Orquestra de São Francisco será exibido nos cinemas brasileiros
Séries: Elenco da 3ª temporada de "The Crown" em ensaio fotográfico inédito
Sem pudor e medo de julgamentos, Elton John se despiu de sua fantasia, e através de cenas deslumbrantes nos contou sua verdadeira história Por Paulo Costa

Resenha: Godzilla II - Rei dos Monstros


Com confrontos épicos, "Godzilla II: Rei dos Monstros" é uma experiência extraordinária para fãs dos Titãs
Por Estefania Goto

Godzilla (ou Gojira), um dos monstros mais idolatrados e temidos por todos na história desde seu surgimento nos filmes japoneses, volta após 5 anos do sucesso norte-americano "Godzilla" (2014). O filme conta com elementos novos e surpreende o público, até mesmo para aperfeiçoar a franquia Monsterverse, na qual deve ter a participação do filme "Godzilla vs King Kong" (2020).

Em "Godzilla II", o longa não perde tempo. Já nos primeiros minutos mostra para o público alguns dos personagens novos, como a família Russell, composta de Mark (Kyle Chandler, "Friday Night Lights"), Dra. Emma (Vera Farmiga, "Invocação do Mal") e sua filha Madison (Millie Bobby, "Stranger Things"), em busca do filho caçula que acaba morrendo no meio da luta de Godzilla vs M.U.T.O., no primeiro filme. Mas quem pensou que Gojira teria tranquilidade depois de vencer seus inimigos e voltar para o mar estava enganado.


Após alguns anos, vemos que o governo criou Monarca, uma entidade que monitora a atividade dos kaijus (sim, tem mais de um) no mundo inteiro, com o objetivo de deixá-los presos ou adormecido para evitar o que aconteceu em 2014. Claro que em algum momento algo daria errado, porque são monstro gigantes de milhões de anos atrás que o homem insiste em controlar.

Diante dos acontecimentos, "Godzilla II: Rei dos Monstros" não só nos promete cenas espetaculares e efeitos deslumbrantes com batalhas épicas, como entre Ghidorah vs Gojira e Rodan vs Mothra, mas a caracterização dos personagens ficou extraordinária e impecável. Já para alguns fãs que pediram mais cenas de luta, posso dizer que os pedidos foram atendidos. O filme realmente trabalhou nesse foco, tanto que a semelhanças com um videogame é muito grande e deixa o público com os olhinhos grudados na tela.


Além disso, o filme aborda de uma maneira mais secundária problemas atuais da sociedade, como superpopulação, questões ambientais e a má distribuição de alimentos e renda. E pode parecer loucura, mas provavelmente o vilão do filme devia ser muito fã do Thanos ou amigo dele, já que suas ideologias são parecidas.

"Godzilla II: Rei dos Monstros" é uma ficção e fantasia que realmente está bem recheada de cenas de ações e confrontos imperdíveis entre Titãs, sem deixar de lado alguns lembretes importantes para a sociedade. O filme é um passeio extraordinário para fãs do Godzilla, apaixonados por videogame, amigos e, claro, para a família. A estreia será no dia 30 de maio em todos os cinemas brasileiros.

E um conselho: assistam até o final pois há uma cena pós crédito no filme.




Comentários