Globo de Ouro 2021 | Conheça os indicados
Cinema | "Bela Vingança", Resenha por Paulo Costa
Cinema | "Nomadland", Resenha por Paulo Costa
Cinema | "Os Pequenos Vestígios", Resenha por Paulo Costa
Play | "Palm Springs", Resenha por Paulo Costa
Play | Para ver na Apple TV+: "Wolfwalkers", Resenha por Jurandir Vicari

Séries | WandaVision - Episódios 1 e 2 (Resenha por Jurandir Vicari)



Deixando sua fórmula de lado, Marvel aposta em projeto audacioso recheado de muita nostalgia e belas homenagens á TV americana dos anos 1950 e 1960

Por Jurandir Vicari | Revisão Paulo Costa


Imagine a repercussão após mais ou menos 500 dias sem nenhum rivalidade entre o Capitão América e Homem de Ferro, sem nenhum jovem escalando paredes, sem nenhum mágico abrindo portais… nem mesmo uma pedrinha do destino… nada… aí surge… "WandaVision"!

A Marvel Studios lançou mundialmente na última sexta-feira, 15 de janeiro, sua primeira série onde os protagonistas são os Vingadores. Já tivemos "Agentes da S.H.I.E.L.D", mas eles eram coadjuvantes. Dessa vez, os heróis mais poderosos da Terra, terão suas histórias contadas semanalmente no streaming do Mickey Mouse.

Após a inesquecível vinheta de abertura Marvel, sabe aquele que vai transformando os estáticos quadrinhos em heróis animados? Pois bem, neste exato momento eu já estava empolgado! E não foi a toa, pois veio muita coisa boa depois disso. As Cores sumiram, o suspense aumentou, e eis que aparecem os protagonistas Wanda e Visão vivendo em uma linda homenagem a TV americana dos anos 1950 e 1960 com claras referências a sucessos da época como: "I Love Lucy", "A Feiticeira", entre outros. Gostei muito das homenagens e de como as décadas passadas da TV foram focadas em um episódio por vez, o que nos mostra como será feita a gradual passagem de tempo entre os episódios, podendo se utilizar de diversas referências de suas respectivas décadas, começando na década de 50 até que chegue nos dias atuais.

"I Love Lucy" e "A Feiticeira", clássicos da TV de 1950 e 1960 homenageados na série (Divulgação)

A direção de Matt Shakman e o roteiro de Jac Schaeffer, com o selo de aprovação do próprio chefão, Kevin Feige, traz uma segurança de que o projeto terá êxito, e quem já assistiu aos dois episódios lançados pode perceber o quanto eles arriscaram. Tanto se falou na fórmula de sucesso da Marvel, que dessa vez ele se sentiram seguros após o estalar de dedos de Thanos que deixaram tal fórmula de lado. O resultado apresentado é uma grande insanidade e não sabemos que esperar mas, ao mesmo tempo, tudo pode acontecer, já que aqui estamos vendo nossos combatentes super-heróis vivendo em uma sitcom, no melhor estilo das comédias clássicas americanas, com direito a som de as risadinhas ao fundo, claro que eu achei engraçado e ri junto.

Jamais imaginei o ator Paul Bettany, que dá vida ao Visão, com tal grau de veia cômica. A interpretação dele é muito corporal, usa e abusa do corpo para parecer desajustado ao meio, ou como a gente imagina um Androide vivendo entre os humanos, tal atuação consegue nos tirar risos e sorrisos. Afinal, achei que ele seria engolido pela presença da Feiticeira Escarlate, interpretada por Elizabeth Olsen, felizmente isso não acontece. Em contraponto, ela faz um parceria perfeita, deixando seu companheiro de cena tirar risos, enquanto cabe a ela o lado lúdico da trama e também de passar as incertezas ao telespectador, com olhares de que está percebendo que algo não está certo.



O roteiro é muito bem construído e vai entregando pistas, apresentando easter eggs, numa espiral crescente bem parecido com os filmes de suspense, mesmo estando numa comédia, o que me faz pensar o quanto o roteiro é bom e desejando novos episódios. Mesmo com apenas estes dois episódios, que não chega a 1 hora de material exibido, a quantidade de “teorias da conspiração” que os fãs estão criando é avassaladora! Nem ouso listar todos, mas sem entregar spoilers pediria para os leitores desse texto pra focar nos "comerciais" e também no encerramento de cada episódio. A única certeza, que temos pelos trailers, é que a Feiticeira Escarlate está usando seus imensos poderes para alterar a realidade e viver seu relacionamento amoroso.

Os cenários não são intergaláctico, nada de imensas torres em uma tumultuada Nova York, são só casas de subúrbio no melhor estilo "Desperate Housewives". Pelo menos nesse começo é tudo bem simples. Inclusive os figurinos também segue este padrão mais corriqueiro, ainda não aparece nenhum uniforme super colorido para virar cosplay na CCXP.

Para encerrar, ficaram muitas perguntas na minha cabeça. Vou compartilhar só as principais com vocês para que tenhamos nossas respostas semana a semana (ou não). Será que Wanda está sendo induzida por alguém para alterar a realidade? Será que o Visão está vivo ou é uma ilusão na mente da Feiticeira? Quem é real e quem não é? Não vejo a hora de assistir ao próximo episódio!