Menu

Cinema | Conversamos com os produtores, elenco e diretor de "Halloween Kills"
Cinema | "007 - Sem Tempo Para Morrer", por Paulo Costa
Play | Novos astros se unem ao elenco de "House of the Dragon"
Music • Cinema | Sony lança trilha sonora de "Venom - Tempo de Carnificina"
Cinema | Denis Villeneuve e Donald Mowat comentam sobre a caracterização dos personagens de "Duna"
Cinema | Universal Pictures divulga trailer do musical "Cyrano"
Cinema | Figurinista Emily Gunshor comenta minucioso trabalho em "Halloween Kills"

Streaming | Para ver no Globoplay: "A Descoberta das Bruxas" (Resenha por Jurandir Vicari)




Não é só de novelas que compõe o catálogo do Globoplay

Por Jurandir Vicari | Revisão Paulo Costa


Mais conhecido pelas novelas antigas e os seriados nacionais, muitos produzidos pelo próprio streaming, o Globoplay traz também em seu vasto acervo filmes, séries, documentários, programas de variedades e muito mais, incluindo conteúdos internacionais e exclusivos, deste catálogo vamos sugerir uma série britânica de altíssima qualidade.

"Começa com abstinência e desejo…começa com sangue e medo…Começa com a DESCOBERTA DAS BRUXAS". Essa é a premissa dos episódios da série homônima inspirada nos livros de sucesso escrito pela autora Deborah Harkness, publicado no Brasil pela Editora Rocco. A trilogia literária teve a sua primeira publicação lançada em 2011 e o primeiro livro recebe o mesmo título que a série. Vale a pena ler, porque o livro é sempre mais detalhado e abre caminho pra imaginação e dá pra conferir com a série se o que foi imaginado bate ou não.



O romance é bem adulto, fugindo do que conhecemos de obras como "A Saga Crepúsculo" e "Diário de Vampiros". Esse relacionamento acontece entre o vampiro Matthew Clairmont e a bruxa Diana Bishop. Nesse universo construído pela autora é proibido relacionamento entre "espécies diferentes", logo, este relacionamento "inter-racial" não é bem visto pelos outros seres sobrenaturais. Além disso, finalmente, não se trata de um triangulo amoroso, como na maioria das séries e livros do gênero. O casal tem química e desperta o interesse do expectador desde o primeiro episódio, criando a vontade de descobrir mais sobre eles.

Um dos pontos altos são os cenários e a fotografia. Tudo parece lindo e bem cuidado. As cenas de pôr do sol são apaixonantes. E a cenografia é tirada de diversos países europeus, o que valoriza a série e a destaca do que estamos acostumados, com séries que sempre se passam nos Estados Unidos. Algumas locações são de fácil reconhecimento, como a Universidade de Oxford (Londres) e Veneza (Itália). Se achar mais algum local que se destaca, deixa nos comentários a sua descoberta.

Apesar das personagens principais serem bruxas, existem outros seres sobrenaturais, como vampiros e demônios, que nem sempre tem uma interação pacífica. E os efeitos especiais tornam eles bem críveis! Eles são usados com parcimônia e quando utilizados se encaixam perfeitamente ao momento da narrativa, deixando de lado os exagerados efeitos gráficos, o famoso chroma key.



A apresentação dos personagens é bem incisava. Por se tratar de criaturas bem famosas no imaginário popular, o enredo se preocupa mais em apresentar o romance, e as consequências dos atos dos personagens, tornando tudo bem ágil e demonstrando os perigos que podem acarretar pra eles mesmos e para a humanidade.

Além de tudo isso, há um mistério a ser descoberto. A protagonista Diana encontra um livro, o Ashmole 782, que explica a alquimia e a origem das espécies sobrenaturais, e esta descoberta levantam vários questionamentos: Porque só Diana conseguiu achar o livro? Quais as consequências que esta descoberta pode trazer? Qual o conteúdo do livro? Para responder a essas perguntas recomendo maratonar a série e se encantar com o universo de "A Descoberta das Bruxas" (A Discovery of Witches).