"Batem à Porta", novo longa de M. Night Shyamalan ganha trailer intrigante
"Moonage Daydream" continua em cartaz nos cinemas brasileiro
"I Wanna Dance With Somebody" tem empolgante trailer divulgado
"Dark Web: Cicada 3301", suspense estreia no digital
Sandman: Das HQs para as telas de todo o mundo, por Jackie Cristina

Play | "Autodeclarado" já está disponível nas plataformas digitais para locação e compra




Filme de Maurício Costa aborda a questão das cotas raciais nas universidades públicas e discute colorismo


Tocando num tema sempre urgente e polêmico no Brasil: a política de cotas raciais, o documentário "Autodeclarado", de Maurício Costa, já está disponível nas plataformas de VOD: Now, Vivo Play, Itunes, Microsoft, Google Play e Youtube.

Partindo do debate sobre a política de cotas e as acusações de fraudes na sua dinâmica de verificação, com pessoas brancas se passando por outras raças para conseguir uma vaga nas universidades, o filme discute não apenas a importância dessa política, nas últimas décadas, mas também como é o processo de verificação e suas possíveis falhas.

Próximo a completar 20 anos, a política de cotas raciais se revela um mecanismo necessário, mas ainda assim falho. Elas começaram a ser usadas no ingresso no ensino superior no país, que começou a ser utilizada em 2003, nos vestibulares da UERJ (Universidade Estadual do Rio de Janeiro) e da UNEB (Universidade Estadual da Bahia).

Luan Myque Figueira da Silva, Luciene Guimarães de Faria, Cristina Sousa, Bárbara Kruczyski, Janedson Almeida e Glaucielle Dias estão ao centro do documentário. Ao retratar as jornadas dessas pessoas, "Autodeclarado" discute os evidentes preconceitos e colorismo racial no país - onde essa dita “democracia racial” é apenas uma ilusão.

“A divisão interessa mais a quem é contra as cotas raciais do que a quem as defende. Como afirmou um de nossos entrevistados, temos de discutir a inclusão, em vez de discutir a exclusão. Além disso, meu entendimento da experiência racial, no Brasil, mudou, e espero que o filme faça o mesmo para o público”, explica o cineasta.

O projeto ainda conta com a participação de 25 entrevistados, incluindo lideranças históricas no movimento negro no Brasil, os criadores e redatores da regulamentação das comissões de verificação, reitores de universidades federais e privadas, acadêmicos, youtubers e influenciadores digitais negros, negras, pardos e pardas e, principalmente.

Entre eles, Frei Davi (EDUCAFRO), Prof. José Vicente (Reitor da Universidade Zumbi dos Palmares), Benedito Gonçalves (Ministro do STJ), Spartakus Santiago e Winnie Bueno (ambos influenciadores negros de grande alcance entre o público-alvo do filme), Natalino Salgado (Reitor da UFMA), e Demétrio Magnoli (sociólogo e jornalista).

Aproveitando o lançamento de "Autodeclarado" para compra e locação digital, conversamos com o cineasta Mauricio Costa. Confira: